Subscribe Us


 




 

Corpos de idosos que morreram de Covid-19 são trocados no Hospital de Emergência em Arapiraca, AL

 Dois idosos com o mesmo nome que morreram de Covid-19 tiveram seus corpos trocados no necrotério do Hospital de Emergência Dr. Daniel Houly, em Arapiraca, Agreste de Alagoas. A informação foi confirmada ao G1 nesta terça-feira (13) pelo hospital, que não divulgou nomes nem idade das vítimas.



Em nota, o hospital esclareceu que o servidor de plantão, que encaminha os corpos para o necrotério da unidade, por um equívoco, colocou a ficha de um paciente no outro. O hospital também disse que foi aberto um procedimento administrativo para apurar o erro (confira a nota na íntegra ao final do texto).

A unidade de saúde não informou, contudo, como o erro foi percebido. Há a informação de que quando a família de uma das vítimas foi buscar o corpo, a outra família já tinha retirado o corpo errado do hospital e sepultado.

Um dos pacientes era de Delmiro Gouveia e o outro, de Olho D’água das Flores, municípios que ficam a pouco mais de uma hora de distância um do outro.

A reportagem tenta contato com as famílias dos idosos.

Nota do Hospital Dr. Daniel Houly

Nunca ocorreu esse tipo de episódio no hospital. O HE do Agreste foi o primeiro hospital em Alagoas a criar o Núcleo de Segurança do Paciente (NSP), para garantir um atendimento cada vez mais humanizado aos usuários da unidade pública de saúde.

Nesse caso específico, o outro paciente era homônimo, ou seja, ambos tinham os mesmos nomes.

O servidor de plantão, que encaminha o corpo para o necrotério do hospital, por um equívoco, colocou a ficha no outro paciente e ocorreu a troca.

A direção do hospital já conversou com familiares dos pacientes, explicou o motivo da troca e abriu um procedimento administrativo interno.

Em relação aos nomes dos pacientes acometidos de Covid-19, eles têm suas identificações preservadas. Esse é um procedimento adotado em todos os hospitais do Brasil e também de outros países.

Só há divulgação do nome quando o paciente recebe alta hospitalar e a família autoriza.

Nesse caso, até agora, a família não autorizou a divulgação do nome do paciente

Postar um comentário

0 Comentários